Central Perk: o café onde os
Central Perk: o café onde os "Friends" se reuniam para conversar

No ar de 1994 até 2004, a sitcom “Friends” foi o grande acontecimento das TVs norte-americana e mundial nos anos 1990, sempre entre os 10 programas de maior audiência onde exibida.

Fora do ar a tempos, “Friends” foi disponibilizada no serviço de streaming Netflix. E em época de polarizações exacerbadas, virou alvo da “Geração Z”, que tomou o Twitter para desancar as piadas “machistas” de Joey (“a Mônica é gorda”, por exemplo), Ross (que casou e foi abandonado por uma “lésbica”) e o medo de Chandler em ser confundido com um gay. Além, os militantes de sofá apontaram a falta de diversidade na série, focada em seis nova-iorquinos brancos e bem nascidos/educados.

Talvez antes mesmo da tal “classificação indicativa”, seja importante avisar aos espectadores de filmes e séries antigas que é fundamental assisti-los com o “olhar da época”. Apesar de não parecer, o mundo tem mudado em uma velocidade alucinante, e o que ontem era normal, virou aberração. E vice-versa.

“Friends” retrata o cotidiano de um grupo de amigos nos anos 1990. Época de encontros reais em cafés, não virtuais em grupos fechados de WhatsApp. Por óbvio, contatos reais são mais propensos a mal entendidos que os passíveis de edição antes do clique em “Enviar”.

Caso não tenha assistido ainda, veja. Vale a pena.

Comentários